AVALIANDO AS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS


Choques no chuveiro, disjuntor desarmando, oscilações na luz, equipamentos demais, tomadas de menos... Essas cenas são muito comuns em grande parte das residências e sinalizam um grave problema: instalações elétricas obsoletas ou mal dimensionadas. Esse mal acarreta resultados graves para a população e para o patrimônio, como falta de segurança, risco de acidentes e desperdício de energia. Para evitar tudo isso, é necessário realizar verificações periódicas nas instalações elétricas, e reformas e adequações sempre que necessárias. Para saber quando está na hora de fazer a avaliação, damos aqui algumas:
  • Se a sua casa, apartamento ou condomínio tem mais de 10 anos e jamais passou por uma reforma no sistema elétrico, certamente está na hora de realizar uma verificação completa, com um profissional habilitado. Isso deve se repetir a cada 5 anos, mais ou menos.
  • Fios e cabos com sinal de aquecimento mostram a necessidade de um check-up, pois indicam que há uma sobrecarga e que a instalação deve estar inadequada para as atuais necessidades de consumo.
  • As instalações elétricas devem ter o fio terra instalado em todas as tomadas para proteger as pessoas contra o choque elétrico. Por este motivo todas as tomadas devem ser aquelas com o modelo de 3 pólos. Se sua instalação não possui esta configuração, programe uma reforma.
  • Os quadros de forças não podem ser feitos em madeira ou qualquer outro material combustível. Se isso ocorre, eles devem ser trocados. Assim como as demais partes da instalação.
  • Fusíveis tipo rolha ou cartucho são inadequados e devem ser substituídos.
  • Caixas de passagem abertas, fios desencapados e emendas mal feitas são sinais de perigo e devem ser corrigidos imediatamente.

Dois últimos lembretes:

  • Toda a instalação elétrica deve ser projetada por profissionais habilitados para este trabalho, ou seja, um engenheiro ou técnico em eletrotécnica. Estes profissionais devem seguir as regras estabelecidas. No caso de instalações elétricas residenciais ou comerciais, a norma técnica é a NBR 5410 (ABNT), que apresenta todos os requisitos mínimos para garantir o conforto, a qualidade e a segurança de uma instalação elétrica.
  • Instalações elétricas possuem uma limitação de uso, seja pelo tempo de utilização (desgaste natural dos componentes) ou pela mudança dos hábitos e necessidades dos moradores (que com o passar dos anos acabam agregando vários equipamentos ou aumentando potências de chuveiros sem sequer verificar a instalação elétrica
Posted on 00:11 by Elétrica Carioca and filed under | 0 Comments »

PREVENÇÃO CONTRA CHOQUES E CURTOS CIRCUITOS


INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE MÁ QUALIDADE SÃO A SEGUNDA CAUSA DE INCÊNDIOS
Prevenção contra choques e curto-circuitos

O Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo informa que a maioria dos incêndios ainda é causada pelo mau uso da rede elétrica das edificações, e por isso faz algumas recomendações:
Faça o aterramento nos circuitos elétricos dimensionados, para evitar os choques elétricos e danos nos aparelhos eletrodomésticos
Execute as instalações elétricas conforme a norma NBR 5410 da ABNT (Instalações Elétricas de Baixa Tensão)
Nos circuitos elétricos, utilize os disjuntores do tipo DR (dispositivo de proteção à corrente diferencial-residual), especialmente em áreas molhadas como cozinhas, banheiros e áreas de serviço
Não faça instalações elétricas provisórias ou precárias "gambiarras"; desta forma você estará evitando sobrecarga da rede e possível curto-circuito
Quando for realizar reparos nas instalações elétricas, procure sempre um profissional em eletricidade.
Realize periodicamente manutenção preventiva nas instalações elétricas, pois elas possuem vida útil limitada
Posted on 00:02 by Elétrica Carioca and filed under | 0 Comments »

CHUVEIRO ELÉTRICO




1. O primeiro segredo do chuveiro elétrico é como a torneira o faz ligar. Tudo começa com a água liberada pela torneira, que entra na caixa do chuveiro com muita pressão. Como a água que molha a gente no banho sai com uma vazão menor, parte dela se acumula dentro do chuveiro

2. A água acumulada empurra o diafragma, peça que serve de apoio para alguns pontos de contato elétrico. Quando o diafragma sobe, esses pontos tocam nos contatos da parte superior do chuveiro, que é conectada à rede de energia. Só aí a corrente elétrica é acionada, ligando o chuveiro

3. A corrente elétrica começa então a percorrer uma resistência, peça metálica que esquenta quando os elétrons da corrente fazem o vai e volta por ela. Em contato com a resistência superaquecida, a água fria que se acumula no chuveiro também esquenta

4. A chave "inverno" e "verão" regula o trecho da resistência que é percorrido pela corrente. Na posição "verão", toda a resistência é ativada. Com mais espaço para circular, os elétrons esquentam menos a resistência, e a água fica numa temperatura morna

5. Na posição "inverno", só uma pequena parte da resistência entra em ação. Com menos espaço para percorrer, os elétrons "trombam" mais no metal, deixando a resistência muito mais quente e elevando também a temperatura da água que sai do chuveiro

6. No final do banho, quando a torneira é fechada, o resto de água dentro do chuveiro escorre. Sem água para empurrá-lo, o diafragma volta à sua posição inicial. Assim o contato com a parte superior do chuveiro é interrompido e a corrente elétrica é desligada.

A
gora você já sabe como funciona um chuveiro elétrico,precisando instalar um,ligue (21) 8595-3358.
Posted on 23:24 by Elétrica Carioca and filed under | 1 Comments »

CONTATO

Assunto do contato
Nome
E-mail
Mensagem
Digite o código



http://www.linkws.com